Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Trump o trumpismo e a Fox News

por Manuel_AR, em 21.01.21

Trump (5).png

Com a saída de Donald Trump sabemos agora como funcionou a Fox News como porta voz de um mandato para esquecer, se tal for possível. Um analista da CNN publicou ontem, dia 19 de janeiro, um artigo sobre aquela rede de televisão o qual resolvi traduzir e colocar aqui. Se quiserem ler o original podem fazê-lo Ler artigo aqui.

 

Com a saída de Trump, a presidência da Fox News chegará ao fim

Atualizado às 12h45 GMT (2045 HKT) em 19 de janeiro de 2021

Análise por Oliver Darcy , CNN Business

Há quatro anos, a Fox News chegou à presidência de Trump com uma oportunidade sem precedentes. Não foi apenas a principal fonte de notícias do Partido Republicano, mas também a principal fonte do próprio presidente Trump. A rede Fox poderia ter aproveitado a oportunidade para agir com responsabilidade. Poderia ter aproveitado os seus contatos dentro do círculo interno de Trump e do GOP (Grand Old Party, Republicanos) para aumentar a reportagem e dar notícias reais. Poderia ter - pelo menos - transmitido a verdade dura e fria aos milhões que dependiam dela para obter informações precisas e confiáveis.

Mas não fez nenhuma dessas coisas. Em vez disso, a Fox escolheu correr na direção oposta. Os propagandistas da estação foram fortalecidos como nunca, enquanto as chamadas horas de "notícias diretas" se tornaram Trumpier e Trumpier. Os seus anfitriões marcaram dezenas de entrevistas com Trump, mas, na maioria dos casos, em vez de pressioná-lo com perguntas difíceis, eles instigaram as suas piores tendências. Mesmo quando não estavam a falar diretamente com ele, os anfitriões estavam a falar diretamente com ele. E eles incitaram essas más tendências alimentando-o com uma dieta constante com histórias hiper partidárias e desinformação total. Embora seja oficialmente chamada "presidência de Trump", há um bom caso a ser defendido de que deveria ser chamada de "presidência da Fox News".

Agora, tudo isso está a terminar. Mas é importante perceber que nada disso precisava de acontecer. Rupert Murdoch (dono da Fox), que já ganhou mais dinheiro do que se pode imaginar, poderia ter acabado com isso com um estalar de dedos. Poderia tê-lo feito quando os seus anfitriões mentiram sobre a investigação na Rússia e impulsionaram o contrassenso do "estado profundo". Ele poderia ter feito isso quando os seus anfitriões enganaram o público americano sobre o coronavírus. Ele poderia ter feito isso quando as principais personalidades da rede alimentaram teorias de conspiração selvagens sobre a eleição presidencial de 2020. Ele não o fez.

Em vez disso, Murdoch ajustou a rede de televisão de outra maneira. Como Stelter relatou no início deste mês, Murdoch esteve pessoalmente envolvido em mexer na programação diurna da Fox. Essa nova formação estreou na segunda-feira. A maior mudança? Substituindo o noticiário de Martha MacCallum - que já era abertamente conservador - por outro talk show de direita. Mais opinião, menos notícias.

MacCallum está agora a apresentar um programa de opinião de direita?

Enquanto MacCallum perdeu o seu horário das 19h, ela agora está a apresentá-lo 15h (horas dos EUA). As promoções do canal diziam que ela traria a sua "perspetiva incomparável" para o horário diurno). Se o programa de segunda-feira foi alguma indicação, essa "perspetiva incomparável" traduz-se num ponto de vista de direita. Para a sua estreia às 15h, a lista de convidados de MacCallum consistia em Sara Carter, Charlie Kirk, Alex Berenson, Geraldo Rivera, Rep. Nancy Mace, KT McFarland, Heather Higgins e Stephanie Cutter. O que quer dizer que a sua hora estava cheia de especialistas pró-Trump. E enquanto Cutter estava no seu programa, a postura de MacCallum era adversária, é claro.

Kilmeade toca os sucessos

Brian Kilmeade (apresentador de rádio e televisão americano da Fox News) na segunda-feira tornou-se a primeira pessoa a tentar ser apresentador da "Fox News Primetime" - que, sinto-me obrigado a notar, não está realmente no horário nobre, já que o horário nobre não começa antes das 20h. Kilmeade tocou todos os sucessos para o público da Fox. Ele liderou o seu programa falando sobre censura, passou a espalhar o medo sobre uma caravana de migrantes em direção à fronteira dos Estados Unidos e finalizou um segmento com Dave Portnoy de Barstool. Parecia que o principal objetivo de Kilmeade era acertar diretamente em Greg Kelly da Newsmax, que roubou parte da audiência da Fox às 19h e ganhou parte dessa audiência de volta ...

 

Isso chamará os espectadores da Fox de volta para casa?

A Fox está acostumada a gabar-se de forma detestável de que domina seus concorrentes nas classificações. Mas agora, como Stelter escreveu na sexta feira, o canal está preso ao terceiro lugar. As mudanças que foram implementadas na segunda-feira devem ser vistas por meio desse quadro. A mudança trará os fãs da Fox para casa? Além disso: em breve maiore mudanças. Que horas serão agitadas a seguir?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:35



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.