Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Para não esquecermos

por Manuel_AR, em 28.05.13




Para estimular a memória curta que,segundo dizem, os portugueses têm, recordo algumas frases que ficarão para a história que, de certo modo revelam a promiscuidade entre a banca, a política e o Estado.


 


 24.05.2013




Ricardo Salgado do BES:




Os portugueses “não querem trabalhar” e que preferem viver à sombra do “subsídio de desemprego”. E que, se não quiserem, há sempre os imigrantes.


 


31.01.2013


Fernando Ulrich:


 "Se os sem-abrigo aguentam porque é que nós não aguentamos?"


 


30.10.2012


Relativamente à questão de os portugueses poderem ou não aguentar mais austeridade que lhes é imposta.


Fernando Ulrich responde:


 “Ai aguenta, aguenta”


 




Nota final: Apesar da miséria de contas que tinha neste bancos, simplesmente, após tudo isto, saldei-as e transferi-as para outro, não nacional mas em território português, mesmo sofrendo pequeníssima penalização.




Imagem foi obtida a partir do site:


http://www.geralforum.com/board/2012/520657/humor-de-perdicao.html


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:44

 



 




O abutre do BPI, Fernando Ulrich, voltou hoje, publicamente, a confirmar o enxovalho que já tinha feito aos portugueses, afirmando que, se os gregos aguentam as condições insustentáveis em que estão a viver, os portugueses também aguentam, pelo que há ainda espaço para mais austeridade.


Resta perguntar o que ganhará ele com isto?.... Ganhará concerteza.


Quanto mais se pedir emprestado para recapitalizar a banca tanto melhor!


Quanto mais empréstimos ao Estado mais juros a bom preço para ele. Ou estarei enganado?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:22


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.