Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Pessoas que têm responsabilidades sociais ou que se evidenciam como elementos notáveis devem acrescentar-se a necessidade de ter cuidados redobrados no que dizem. Sobre este assunto li hoje o editorial do jornal i que aborda este tema de forma muito clara. Assim, cito com a devida reverência, alguns pontos. O texto completo poderá ser consultado no portal do referido jornal.


“Infelizmente verifica-se com alguma regularidade que certas pessoas não têm noção do papel mesmo simbólico que têm socialmente.


O caso mais recente tem a ver com a filha de um banqueiro que disse gostar de ir para a Comporta por ser como brincar aos pobrezinhos. Convenhamos que é de mau gosto e de quem não sabe o que é a pobreza.”


“Em tempos houve outros casos chocantes, como o da líder de um banco alimentar que afirmava que tínhamos de comer menos bifes (cita- -se de memória) ou a jovem que assegurava que o melhor que lhe podia acontecer este ano era tornar-se proprietária de uma carteira Chanel.


Há depois casos variados, como o dos excêntricos jogadores de futebol que se adornam com brincos e relógios pimba de milhões, expondo com estardalhaço a sua riqueza recente e normalmente passageira.”


Vale a pena ler o artigo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:06



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.