Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O governo que é uma grande prenda

por Manuel_AR, em 12.06.12

 


Leia algumas prendas de última hora do nosso governo e adivinhe quem vai pagar.


 


 


Lisboa - Ano Europeu Envelhecimento

 


 


Apesar de se dizer que a segurança social pode vir a estar em colapço, Mota Soares recusa-se a subir o limite das reformas para os 67 anos o que não justifica com argumentos convincentes, ao contrário do que vem sendo sugerido por alguns especilaistas (porque será?). Expliquem-me por favor!


Contudo prefere reduzir em 25% as reformas dos que entrarem no sistema. Por sua vez, segundo o Correio da Manhã, o ministro Mota Soares dispensa as empresas agrícolas e os seus trabalhadores do pagamento das contribuições para a segurança social (mas com recuperação!). Como é possível? Segundo dizem a segurança social está em dificuldades financeiras! Claro que no futuro, com medidas destas, as pensões irão ficar cada vez mais em risco. Alguém vai pagar a fatura! Quem será...? Quem será...? Vejam se adivinham! 


Ah! já me esquecia, ele também diz que em 2013 recupera a verba mensalmente de forma equitativa. Quem lhe diz a ele que as empresas agrícolas vão ter dinheiro nessa altura para cumprir o compromisso! Está-se mesmo a antever o que pode acontecer, ou não está?


 



 


Outra prenda a que me referi em "post" anterior quando abordei a questão dos nosso impostos que compensam as PPP pela falta de tráfego, confirma-se agora. Nas auto-estradas o tráfego  no primeiro trimestre deste ano caiu cerca de 14% em relação ao mesmo período do ano passado. Nas antigas SCUTS após introdução das portagens houve uma quebra de 45% a Norte e a Via do Infante do Algarve  perdeu mais de 56%. Quem está a pagar, através dos impostos, esta diminuição de tráfego e deixou de poder utilizar as auto-estradas devido ao preço das portagens, quem é? Adivinhe se for capaz!


Fontes: Estradas de Portugal e CM

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:46



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.