Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Dar graças pelo estado do país

por Manuel_AR, em 30.04.15

Cavaco_invocação.png


Mas que discurso é este em que o Presidente da República de alguns portugueses em tem a "lata" de vir invocar o nome de Deus para agradecer por termos uma rede de instituições de solidariedade social em Portugal.


Será isto motivo de orgulho para os portugueses?


O que o Presidente da República defende e sustenta é a política do país pobrezinho, sujeita à caridadezinha e à oferta de instituições de solidariedade, apesar de serem meritórias, mas que, não raras vezes, utilizam dinheiros públicos e sobre o qual não se sabe se há ou não controlo.


As instituições de solidariedade social são importantes em casos extremos que necessitem de ajuda, mas viver num país onde a política governativa lança uma grande parte da população ativa e não ativa para os braços das instituições de solidariedade não é aceitável.


É sabido que a crise gerou pobreza o que deu lugar a que surgissem cada vez mais instituições de solidariedade social. 


Cavaco Silva de cada vez que fala em público faz a invocação do nome de Deus em vão para ir de encontro à sensibilidade religiosas do povo, já que não tem mais nada que o faça aproximar.


Votar na coligação é como estar também a votar em Cavaco Silva e sufragar o seu apoio ao Governo.


Que pontos é que a direita e o Presidente da República ainda não perceberam, não querem perceber ou não concordam? 



  • Dinamizar o investimento.

  • Combater o desemprego.

  • Combater a desigualdades extremas.

  • Investir na educação.

  • Investir na saúde.

  • Investir na cultura.

  • Investir na ciência.

  • Proteção do ambiente.

  • Garantir a defesa da liberdade.

  • Garantir a defesa dos direitos humanos.

  • Garantir que a democracia não é apenas votar de quatro em quatro anos mesmo que seja evidente a destruição económica e social do país.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:53



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.